União, cor e vida é o resultado de um mês e meio de Projeto Bezalel no Sanga Funda

Bezalel, o personagem bíblico do Antigo Testamento, capacitado pelo Espírito Santo, para trabalhar na construção do Tabernáculo e, por meio da arte, promover mudança no seu povo. Bezalel é nome escolhido para batizar o projeto que há um mês e meio traz a Cascavel artistas de todo Brasil para deixar telas em grafitti registradas nas moradias do Loteamento Sanga Funda, na região norte da cidade. Desenvolvido pela Associação Cultural Além da Arte, em parceria com a Prefeitura de Cascavel, por meio da Secretaria de Cultura e Esportes, com a Associação de Moradores daquela região da cidade e a Coral Tintas, o resultado é a soma de união, cor e vida no bairro.

“O projeto visa à transformação do ambiente pela arte, por isso escolhemos o nome Bezalel, que era um homem de coração sábio, que foi chamado por Deus e, por meio da arte, promovia mudança no seu povo. É isso que queremos com este projeto, resgatar a autoestima da comunidade e incentivar a mudança pela arte”, conta o artista Carlos Henrique, da Associação Além da Arte, que atua junto com Anderson, o Andy Combatente, da Cufa e Edimar, da Acri, todas as associações envolvidas no projeto, que já trouxe 19 artistas de todo o Brasil para a ideia.

A proposta reforça os laços da comunidade por meio da arte urbana, colorindo o cotidiano das pessoas, trabalhando a autoestima dos moradores e levando alegria às casas do bairro por meio do graffiti. “Isso faz parte de uma cidade democrática e diferente”, concluiu o prefeito Leonaldo Paranhos na tarde deste sábado (18), ao conferir de perto o resultado do projeto. “A cultura tem de ser horizontal e trabalhar em todos os segmentos, chegando em todas as camadas sociais. Fizemos grafitti no Teatro, agora nos bairros. Vemos o resultado na alegria das crianças, na doação das pessoas que abraçaram a causa dos artistas, nos artistas, enfim, isso nos dá incentivo para continuar a proposta”.

A Secretaria de Cultura fornece tinta, estrutura, hospedagem e passagens e os artistas registram as telas gratuitamente. Algumas casas recebem também pintura nas paredes. É feito também um trabalho social de incentivo ao cuidado do ambiente. Andy explica que o incentivo do Poder Público está sendo fundamental para atingir o objetivo da proposta. “A ideia é colorir e trazer vida para o bairro, incentivar o sentimento de pertencimento e mudar a vida das pessoas e o ambiente onde vivem. Estamos conseguindo e recebendo elogios de gente de toda parte do Brasil, que está querendo deixar aqui suas telas”, comemora, contando que a médio prazo serão formados multiplicadores, ou seja, artistas da própria comunidade, com cursos, que poderão nascer do projeto, além do anseio que brota nos moradores de cuidar melhor do bairro.

E Projeto Bezalel já está fazendo diferença dentro da comunidade. “Ao que tudo indica, passará a ser mais um lindo ponto turístico da nossa cidade”, disse o secretário de Cultura e Esportes, Ricardo Bulgarelli, que acompanhou a visita do prefeito ontem. Eles estudam meio de propagar o projeto, além das visitas, como exposições itinerantes.

Os moradores estão envolvidos na ideia. Percebe-se que passaram a cuidar do espaço, plantando grama, cuidando do quintal, recolhendo lixo e se envolvendo na proposta. Outros ajudam diretamente, servindo os artistas, como a dona Marlene, por exemplo, que faz almoço para os artistas, e o comerciante Celso Fogaça, que tem uma lanchonete no bairro, e serve o café gratuitamente. “Estamos aqui, de braços abertos, para quem vem nos trazer esta ideia maravilhosa e está ajudando a transformando a nossa comunidade. É um trabalho abençoado, que trouxe alegria e visitação de escolas e gente da cidade toda para cá. Hoje somos vistos de forma diferente”, relata.

Justamente o que a ideia propõe, segundo o secretário Bulgarelli. “Tudo é uma sequência e consequência. Plantamos a semente a curto e médio prazo, com o Projeto Cores e Interiores, que já passou pelo Centro e Guarujá, somamos com os artistas, e agora chegamos ao Sanga Funda, que é uma região carente deste olhar e que, hoje, ganhou atenção da cidade e do Brasil. Mas o mais importante é o sentimento dos moradores, de pertencimento ao espaço, pois isso transforma a vida das pessoas por meio da arte”.

(Secom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.