TJPR mantém condenação de quatro réus por desvio de diárias na Câmara Municipal de Cantagalo

Em julgamento de apelação de quatro réus condenados a partir de investigações da Operação Cosa Nostra, o Tribunal de Justiça do Paraná manteve a condenação de todos eles, denunciados em 2016 pela Promotoria de Justiça de Cantagalo, no Centro-Sul paranaense. A Operação Cosa Nostra, deflagrada em março de 2015, investigou diversas atividades criminosas no município e gerou a denúncia dos réus por participação num esquema de desvio de diárias na Câmara.

Os réus – dois vereadores (um deles ex-presidente da Câmara Municipal na gestão 2012-2016) e dois ex-funcionários (ex-assessor de imprensa e ex-diretor-geral da Casa Legislativa, atuantes no mesmo período) – haviam sido condenados em primeira instância por peculato (desvio de verba pública) e falsidade ideológica.

A decisão do TJPR reviu as penas dos réus, que acabaram estabelecidas em dez anos, um mês e quinze dias para um dos vereadores e o assessor de imprensa, e em seis anos e três meses para os outros réus, além de multas aplicadas a todos.

As informações são da Assessoria de Imprensa do MPPR

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.