Serviços de impressão: novo modelo garante controle e apresenta resultados

Avaliação preliminar identificou diversas impressões “particulares” em máquinas que devem ser utilizadas exclusivamente no serviço da administração municipal
A contratação de empresa especializada em fornecimento de equipamentos para impressão, cópias e digitalização de documentos, de acordo com responsável pelo Departamento de Informática da Prefeitura de Cascavel, Adriano Oliveira, teve o processo licitatório formulado dentro de “um modelo econômico, sustentável e eficaz que proporciona maior qualidade no serviço e, especialmente, o controle de quantidade e também dos conteúdos que estão sendo impressos”.
Com o software de gerenciamento das impressões, a administração municipal já detectou a “má utilização” dos equipamentos e cumpre a determinação do prefeito Leonaldo Paranhos, que desde o início da gestão determinou o combate ao desperdício dos recursos públicos e à corrupção, seja em que nível for praticada.
Em análise preliminar, foram constatadas impressões de três livros sobre mediunidade (264, 248 e 124 páginas), além de vários TCCs (Trabalho de Conclusão de Curso) – um deles com 253 páginas. Na rápida averiguação, foi possível constatar cerca de mil impressões que podem ser consideradas “irregulares” e há outras suspeitas em análise. Com o software de gerenciamento de impressões é possível identificar quem fez impressão, em qual secretaria, horário e quantidade de cópias.
De acordo com o Departamento de Informática, diante das informações fornecidas pelo software, serão abertos processos administrativos para averiguar os fatos e abrir espaço para explicações e defesas dos servidores que realizaram as impressões, embora esteja evidente de que trata-se de material particular.
Economia e eficiência
A época da licitação, em julho, o diretor do Departamento de Compras da Prefeitura de Cascavel, Edson Zorek, explicou que o edital para licitação para contratação da empresa especializada em impressões e digitalizações, contemplava “vários serviços e também diferentes equipamentos que atendem necessidades de acordo com a demanda das secretarias que são diferentes e exigem equipamentos diferentes”.
O processo licitatório contou com a participação do Sebrae e do Programa Compras de Cascavel, que atua no âmbito da Acic, para garantir que o processo tivesse “total transparência”, bem como protegesse os interesses da administração pública.

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.