Seminário debate inclusão de autistas na educação municipal

Seminário aconteceu nesta quinta-feira (Divulgação)

A Comissão Permanente de Educação da Câmara Municipal de Cascavel realizou nesta quinta-feira (29), no plenário da Câmara, um seminário com o tema “Inclusão de Crianças com Autismo de Rede Municipal de Ensino”.  A comissão, formada pelos vereadores Paulo Porto, Olavo Santos e Carlinhos Oliveira, recebeu representantes da APAE Cascavel, do Projeto Transtorno Espectro Autista (PROTEA) da APAE, do Conselho Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Educação, Centro de Apoio e Defesa dos Direitos dos Autistas de Cascavel (CAUT) e do Programa de Ações Relativas às Pessoas com Necessidades Especiais da Unioeste, além dos vereadores Policial Madril e Josias de Souza.

De acordo com Olavo Santos, “o seminário foi pensado a partir de uma demanda das famílias de crianças com autismo que nos apresentaram os desafios enfrentados por elas, pelas crianças e também pelos profissionais da educação na busca pela inclusão na rede municipal”.

A Lei n° 12.7642012 garante a inclusão das crianças com espectro autista nas escolas, porém, de acordo com os pais, a legislação foi implementada ao contrário: primeiro criou-se a lei, sem pensar na preparação de professores e escolas, uma “inclusão excludente”, como afirma Márcia Muxfeldt. Dentre os problemas relatados estão o excesso de estímulos visuais nas escolas, professores despreparados, material pedagógico inadequado e falta de coordenação entre os diversos profissionais envolvidos.

A secretaria de educação, Marcia Baldini, afirmou que “a rede tem hoje cerca de 30 mil alunos matriculados. Destes, 78 alunos  diagnosticados com espectro autista em escolas municipais e 11 em CMEIs, sendo que 52  deles contam com professor PAP (Professor de Apoio Permanente)”.  Baldini assegurou ainda que o munícipio tem buscado melhorar a formação continuada dos professores e cumprir da forma mais humana possível a legislação referente à inclusão.

Carlinhos Oliveira, líder da base na Câmara, explica que “o debate é importante para estabelecer estratégias e indicações para melhorar o atendimento na busca pela inclusão e qualidade de vida às crianças com autismo”.

(Assessoria)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.