Secretaria de Obras inicia mutirão de desobstrução de bueiros nos bairros

O prefeito Leonaldo Paranhos acompanhou hoje (4) o início dos trabalhos de limpeza de bocas de lobo no Conjunto Habitacional Sanga Funda, no Bairro Floresta, marcando o início de um mutirão de limpeza e reparos de bueiros em várias regiões da cidade. Para isso foram reforçadas as equipes, por meio da contratação de serviços extras via Registro de Preços. A licitação prevê a limpeza de pelo menos 3,5 mil bueiros e o reparo de outros 1,5 mil, com a troca de tampas de bocas de lobo. Os trabalhos foram iniciados na Rua Leonardo da Vinci, esquina com Rua Agenor Mello, no Sanga Funda.

A RFant ZAC Serviços de Limpeza Eireli, de Maringá, venceu a licitação para fazer a limpeza e a desobstrução de bocas de lobo, poços de visita e tubulações das galerias de águas pluviais e de serviço de troca de tampa de lobo, em atendimento às necessidades do Setor de Manutenção da Infraestrutura Urbana da Secretaria Municipal de Serviços e Obras Públicas pelo valor máximo de R$ 620.500,00 para um período de 12 meses. O valor médio é de R$ 140 por limpeza de galeria e de R$ 87 por reparo. “Estamos pagando por serviço, fazendo economia para os cofres públicos, quando em outras regiões se paga até R$ 550 por hora de trabalho”, detalhou o prefeito.

Paranhos lembrou que Cascavel tem, em toda a cidade, pelo menos 36 mil bocas de lobo e que, dessas, cerca de 20% estão obstruídas. Mas o que chama atenção é o tipo de material retirado. A limpeza revela que o entupimento não é provocado por ação do tempo apenas. Para se ter uma ideia, a sucção traz todo tipo de lixo à tona, desde garrafas PET, sacos plásticos, roupas velhas, restos de materiais de construção e até pneu de bicicleta.

“E cada vez que chove temos o problema de ver a água entrar nas casas e arrebentar o asfalto. Então eu quero pedir, de forma respeitosa, que as pessoas nos ajudem a cuidar desses locais, para que possamos deixar nossa cidade mais limpa e evitar enxurradas, pois as galerias têm a função de escoar a água e não podem servir de lixeiras”, enfatizou o prefeito.

De acordo com o secretário de Serviços e Obras, Adelino Ribeiro, que esteve com o prefeito no bairro, levantamento prévio aponta que a cidade tem pelo menos 6 mil pontos com problemas causado principalmente por esse excesso de lixo. A empresa colocou três caminhões atuando no mutirão. Além do Sanga Funda, paralelamente trabalham no Santa Cruz e no Interlagos. Paralelamente, o caminhão hidrojateador do Município está no Guarujá.

(SECOM)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.