Secretaria da mulher realiza ação de combate ao feminicídio 

A Secretaria de Políticas para Mulheres realizou na segunda feira (22) na Praça Willy Barth, uma ação de conscientização contra o feminicídio. Com o nome “Nenhuma a menos – o retrato do feminicídio no Paraná”, o ato foi também uma homenagem às 82 mulheres vítimas do feminicídio no estado entre maio de 2018 e maio de 2019. Cada uma das vítimas foi representada por uma cruz, sendo que duas eram em Toledo.

Foram entregues panfletos informativos para os pedestres e motoristas, que explicavam sobre os tipos de violências e as atitudes que podem ser consideradas assédio. O evento contou com o apoio da Patrulha Maria da Penha, Guarda Municipal, Núcleo Maria da Penha (Numape), Delegacia da Mulher, e a organização é da Procuradoria Especial da Mulher. No período da tarde a ação teve continuidade no Terminal Urbano da Vila Pioneiro.

A secretária Larissa Ribeiro destaca que além de orientar, o ato também objetiva divulgar a rede de atendimento e proteção para as mulheres. “Queremos que essas mulheres se sintam fortalecidas e tenham coragem de fazer a denúncia, para que não fiquem vivendo uma situação de violência dentro de casa”.

“É preocupante, realmente é uma coisa muito triste, espero que a mobilização dê resultado”. Assim foi a reação de Neusa Elias ao conhecer os números apresentados. Ela passava pelo local e também recebeu as orientações, assim como Diandra Dias, que deu a receita para reduzir as estatísticas que preocupam tanto. “Dar mais amor, carinho, confiar mais, e orar”.

O dia 22 de julho é referência à data da morte da advogada Tatiane Spitzner pelo marido, em 2018. O fato ainda motivou a criação da Lei 19.873, proposta pela deputada estadual Cristina Silvestri, e instituiu a data como o Dia D de combate ao feminicídio.

Atendimento

“É triste, mas a realidade é que recebemos a cada dia de duas a três mulheres pedindo ajuda”, destaca Larissa.

Ela acrescenta que a Secretaria de Políticas Para Mulheres faz atendimento psicoassistencial para as vítimas, treinamentos e palestras em locais diversos, além de divulgação de acontecimentos em relação à violência doméstica. “Estamos realizando algumas ações nas escolas, para que as crianças levem a orientação para os pais. Sabemos que através dos filhos é uma das melhores maneiras de levar a informação para casa”.

Larissa informa que o primeiro passo a ser dado pela mulher que se sentir ameaçada é procurar a Delegacia da Mulher ou a Secretaria de Políticas para Mulheres. “Em um desses lugares ela vai receber todas as orientações que precisar. Também é importante fazer um Boletim de Ocorrência na delegacia, onde também poderá abrir a Medida Protetiva”.

A Secretaria de Políticas para Mulheres atende das 8h às 11h45m e 13h30 às 17h30 de segunda a sexta-feira. Endereço: Rua Mario Pudell, número 140 A, Vila Pioneiro. Telefones: (45) 3252-5528 (45) 3379 3790

A Delegacia da Mulher de Toledo fica na Rua Doutor Cyro Fernandes do Lago, 251 – Vila Pioneiro, ao lado do Mini-Hospital. Telefone: (45) 3378-7300

Violência contra a mulher é crime. Denuncie pelo telefone 180

(Assessoria/Toledo)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.