Roman defende manutenção de incentivos na produção de energia fotovoltaica

Durante audiência nesta terça-feira (17) na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, com a presença do ministro das Minas e Energia, Bento Costa Lima Leite, o deputado Evandro Roman (Patriota) contestou a intenção da Agência Nacional de Energia Elétrica de taxar a produção de energia fotovoltaica. Segundo Roman, é fundamental manter as condições atuais que beneficiam geradores particulares de energia em seus imóveis privados e também o setor produtivo, sobretudo os criadores de frango e porco.

(Foto: Agência Câmara)

Atualmente prevalece uma resolução da Aneel de 2012 que autoriza o consumidor a realizar microgeração de energia, seja para consumo próprio ou para contribuir com sobras na rede de distribuição do sistema elétrico. Com isso há isenção do pagamento de tarifas pelo uso da rede.
A proposição da Aneel em análise por consulta pública é a redução gradativa dos incentivos, o que na prática significa taxar os sistemas de produção individual, o que penaliza tanto os consumidores/produtores individuais quanto empresas que operam nesse setor em franco desenvolvimento.
O deputado Roman usou como argumento as projeções de que o país terá dificuldades no fornecimento de energia se o país crescer nos índices previstos de 2,4% em 2020 e 3,5% em 2021. “Se as projeções se confirmarem e o país crescer 10% nos próximos quatro anos haverá dificuldades na matriz energética”, enfatizou.

(Assessoria)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.