Prefeitura economiza mais R$ 1,39 milhão na merenda escolar

Quase 30 mil estudantes integram a rede municipal (Divulgação/Secom)

Com o encerramento das licitações na modalidade pregão eletrônico (108 e 109/2017) para registro de preço para compra de itens da merenda escolar para abastecer as 61 escolas municipais e os 52 Cmeis (Centros Municipais de Educação Infantil) para um período de sete meses, o resultado final foi uma economia de R$ R$ 1.397.956,00 (19,03%). O valor máximos das licitações foi de R$ 2.519.130,00 para os produtos não perecíveis e R$ 4.823.600,00, totalizando R$ 7.342.730,00.

Com ampla concorrência, nos produtos perecíveis o valor final ficou em R$ 1.792.462,50, com desconto de R$ 726.667,50 (28,84%). Para os produtos não perecíveis, o valor do desconto chegou a R$ 671.288,50 (13,91%) e a licitação teve valor final fixado em R$ 4.152.31,50.
Disputa de preços
No pregão dos alimentos perecíveis, que foi finalizado no início da noite de ontem, a disputa gerou descontos expressivos, como por exemplo nas 7 toneladas de “canjiquinha de milho”, orçada em R$ 20.930,00 teve o preço final fixado em R$ 6.300,00, com 69,90% de desconto. Já as 3 toneladas de “sal temperado com pimenta”, que tinha preço do edital fixado em R$  25.530,00, custará aos cofres públicos R$ 8.070,00, com desconto 68,39%. Destaque também para o “achocolatado em pó”, que teve os 8.250 kg com preço máximo fixado em R$ 82.252.50 após a disputa recebeu 47,34% de desconto, fechando preço em 43.312,50.
Na lista dos produtos perecíveis estão carnes, frios, ovos, frutas, legumes, verduras, totalizando 37 itens que farão parte da merenda de quase 30 mil estudantes, em quase 80 mil refeições diárias. Os fornecedores de carnes (paleta e pernil suíno, patinho bovino, carne moída de primeira, coxa e sobrecoxa de frango) têm três dias úteis para apresentar os laudos que comprovem a qualidade e procedência dos produtos. O parecer da comissão de licitação será publicado na terça-feira (27), quando será aberto prazo de três dias úteis para os vencedores da licitação apresentarem a documentação.
(Da Secom)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.