Precariedade do prédio pode ter contribuído para acidente na UPA

Unidade foi construída há duas décadas

A Secretaria Municipal de Saúde ainda avalia se pretende abrir um procedimento administrativo para apurar as causas da explosão  em uma saída da tubulação de oxigênio que deixou uma enfermeira ferida na madrugada desta sexta-feira (16) na UPA Pediatria, em Cascavel. De acordo com o secretário Rubens Griep, o caso tema ver com problemas estruturais que deveriam ter sido sanados há anos.

O prédio da UPA, construído há duas décadas na gestão do então prefeito Salazar Barreiros, precisa de uma ampla reforma. “Já estamos com projetos em fase avançada para reformas, mas ainda não conseguimos organizar todos os problemas encontrados”, declara.

Segundo Rubens, a substituição do sistema de oxigênio já está em licitação. “Acredito que em aproximadamente 30 dias teremos avançado”, afirma o secretário.

Já a reforma do prédio da UPA Pediatria só deve acontecer após o início da gestão associada com o Consamu (Consórcio Samu Oeste).

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.