Poder Judiciário e Ministério Público firmam parceria para promover igualdade de gênero

Assinatura do termo aconteceu na última quarta-feira em Curitiba (Divulgaçã/TJPR)

O presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), desembargador Renato Braga Bettega, presidente de outros tribunais, chefes do Ministério Público Estadual (MP) e Federal (MPF) no Paraná assinaram, anteontem (21), um termo de parceria que institui o primeiro o Grupo de Estudos Interinstitucional sobre Igualdade de Gênero no Poder Judiciário e no Ministério Público.

O objetivo é reunir esforços para melhorar os índices de igualdade de gênero nas instituições que participarão do grupo. Para isso, cada órgão, por meio dos membros que indicará, deverá levantar periodicamente dados com recorte de gênero a respeito do ingresso, promoção e preenchimento de cargos de chefia da instituição. Essas informações deverão ser compartilhadas com os demais participantes, para que seja possível traçar um panorama avaliativo geral atinente à igualdade de gênero e ao trabalho de mulheres no Poder Judiciário e no Ministério Público.

Assim, será possível formular e implementar ações internas e interdisciplinares voltadas para promoção organizacional da igualdade entre homens e mulheres no Judiciário e no Ministério Público do Paraná.

Durante a solenidade, o Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Paraná, Ivonei Sfoggia, destacou que o estado sai na frente com esta iniciativa. Aproveitou também para parabenizar os participantes e os integrantes desse novo trabalho.

O Presidente do TJ-PR, desembargador Renato Braga Bettega, elogiou a iniciativa e salientou a importância da conjugação de esforços nesse sentido com o intuito de melhorar a paridade de gênero. “Estou grato como presidente desta Corte em assinar esse termo e contribuir para a efetividade desse trabalho que será desenvolvido entre as instituições, acredito nesse somatório de esforços”, ressaltou.

A desembargadora Angela Khury Munhoz da Rocha, que irá representar o Tribunal no Grupo, também participou do ato. Para ela é um avanço a institucionalização desse trabalho. “Essa questão de gênero é importante porque tenho certeza que cada uma de nós ao longo da nossa vida já passou por alguma situação e, às vezes, deixamos de lado para não criar problemas ou discussões. Essa temática é vanguardista e progressista e está acontecendo pela primeira vez no Paraná. Quero muito que isso gere efeitos práticos de que possamos nos orgulhar”, afirmou.

Participação

Além do presidente do TJ-PR, assinaram o termo: o procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Paraná, Ivonei Sfoggia; o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho no Paraná, Gláucio Araújo de Oliveira; a procuradora-chefe do Ministério Público Federal – procuradoria da República no Paraná, Paula Cristina Conti Thá; o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Arnor Lima Neto; a diretora do Foro – Justiça Federal / Seção Judiciária do Paraná, Gisele Lemke; o presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da 9ª Região, Paulo da Cunha Boal; o Presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, Frederico Mendes Júnior; a Presidente da Associação dos Juízes Federais do Paraná, Patricia Helena Daher Lopes Panasolo; o Presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, Ângelo Fabiano Farias da Costa; e o presidente da Associação Paranaense do Ministério Público, Cláudio Franco Felix.

 

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.