Oposição pede consulta popular, mas Maduro ratifica eleições para Constituinte

Líder opositor venezuelano Julio Borges (Foto: Cristian Hernandez/EPA/Agência Lusa)

A oposição venezuelana fez hoje (3) um chamado para que no  dia 16 de julho, um domingo, seja feita uma consulta popular para decidir “o futuro do país” e aprovar ou rechaçar o processo constituinte convocado pelo governo. Contudo, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ratificou os comicios para a eleição dos constituintes e lamentou que haja setores que saem “a difamar o país”. A informação é da Agência Télam.

Os principais dirigentes da Mesa de Unidade Democrática (MUD), que reúne a oposição, realizaram nesta segunda-feira (3) um ato para a assinatura de um “acordo nacional para a Constituição”, no qual se planejarão estratégias para atuar durante este mês em defesa da Carta Magna e propuseram a realização de uma consulta popular.

O presidente da Assembleia Nacional (AN), Julio Borges, antecipou que pedirá ao Parlamento que ponha em marcha o “processo de consulta” e apelou para o artigo 71 da Constituição venezuelana, que faculta à AN convocar  um referendo sobre “matérias de especial trascendência nacional”. Borges se amparou também no artigo 350, que enuncia o direito do povo de deixar de reconhecer ao governo que “contrarie” os princípios e garantias democráticas.

 

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.