Líder do governo espera que Câmara mantenha decreto de armas

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann, lamentou a decisão do Senado de derrubar ondem o decreto que flexibiliza o porte de armas e (Decreto 9785/19), editado em maio pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Infelizmente foi derrubado, porém respeito decisão daquela Casa”, disse Hasselmann durante reunião da comissão especial da reforma da Previdência.

A deputada espera que ao discutir o projeto de decreto legislativo aprovado pelos senadores (PDL 233/19), a Câmara mantenha o decreto do governo. Ela não descarta, entretanto, que a matéria seja tratada em projeto de lei. “O importante é enfrentar esse debate”.

Distorções
Ela apontou distorções na discussão em torno da proposta e criticou o discurso que culpa as armas pelo aumento da violência. “Dá a sensação que armas têm vida e saem por aí matando sozinhas”, declarou.

A líder governista reafirmou o direito de cidadãos “de bem” poderem se defender de criminosos e chegou a dizer que culpar as armas pela violência seria o mesmo que “culpar a colher por engordar”.

“Nós desse governo defendemos liberdade de escolha”, ressaltou. Para Hasselmann, a Câmara deve enfrentar esse debate mesmo que por projeto de lei. Ela lembra também que a população foi consultada em referendo realizado em 2005 sobre a proibição do comércio de armas de fogo e munições no país e rejeitou a medida. “Ou respeitamos a população ou então não é democracia”.

(Fonte: Agência Câmara Notícias)

 

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.