Extinção da Cettrans ainda gera polêmica e revolta

Faltam menos de dois meses para acabar o prazo estipulado pelo prefeito Leonaldo Paranhos para que o estudo sobre a viabilidade da Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) seja concluído. Dependendo do resultado, a companhia pode ser extinta.

Na reta final dos estudos, no entanto, há um descontentamento generalizado por parte de funcionários da Cettrans com relação à condução dos trabalhos da comissão criada para fazer o estudo.

Na semana passada, o Sitep (Sindicato dos Trabalhadores das Empresas Públicas) enviou ao prefeito Leonaldo Paranhos um ofício com uma série de reclamações sobre o andamento dos trabalhos.

Segundo o sindicato, respostas de perguntadas solicitadas pelo órgão sindical estão sendo respondia pelo secretário de Planejamento, Edson Zorek. Isso ocorre, segundo o Sitep, por não haver uma regra clara dentro da comissão para quem se dirigir ou a quem enviar documentos. O sindicato não concorda com essas deliberações do secretário e diz que qualquer decisão precisa ser tomada pela comissão.

“Em regra, na Administração Pública, toda a comissão formada deve vir na sua nomeação, quem vai presidir, quem vai secretaria e outras competências e, na ausência disso, os próprios membros elegem esses cargos”, diz o Sitep no documento enviado ao prefeito.

Para o Sitep, também há vícios na formação da comissão. “A comissão é composta por maioria de representantes do Poder Executivo, os quais são ainda de cargos de confiança ou cargos em comissão, em sua maioria, de nomeação do prefeito municipal. O sindicato entende que isso fere a proporcionalidade dos membros da comissão”, disse o Sitep no ofício, assinado pelo presidente Celso da Silva.

Estudos

De acordo com a Prefeitura de Cascavel, os estudos que irão definir se a companhia será ou não extinta estão em andamento. “Foi realizado o levantamento de dados e indicadores no período de janeiro a outubro de 2018 e apresentado à comissão e ao final foi elaborado um relatório para subsidiar a decisão administrativa do prefeito”, informou o Município.

A Prefeitura não confirma que as decisões estão sendo tomadas de forma unilateral, mas esclarece que a comissão é formada por representantes do Poder Executivo, Poder Legislativo, Sindicato e Cettrans e que em três reuniões realizadas em novembro – nos dias 1º, 19 e 30 – as planilhas com os dados à comissão que discutiu todos os assuntos que entendeu ser pertinente.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.