Comissão especial vai organizar e disciplinar a atividade dos vendedores ambula

Nesta terça-feira (15) durante a já tradicional Escola de Governo, foi oficializada a criação da comissão especial que tratará especificamente da questão do comércio ambulante em Cascavel. A c Comissão será coordenada pelos secretários João Alberto Andrade (Desenvolvimento Econômico) e Renato Segalla (Finanças), pelo presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro, o diretor da Guarda Municipal, Cel. Avelino Novakoski, e a chefe do Setor de Fiscalização, Joslei Broetto Besinella. Esta comissão especial vai trabalhar em conjunto com a Coplaa (Comissão Permanente de Licença de Atividades Ambulantes) para equacionar os problemas do setor.
“Há muito tempo temos um problema no centro da cidade que tem incomodado alguns empresários e, ao mesmo tempo, tem servido de sustento para muitas famílias”, disse o prefeito, destacando que, “infelizmente, não podemos administrar a Prefeitura só com o coração, é preciso razão. E uma cidade precisa ser organizada, como deve ser a nossa casa, a nossa vida e as nossas ações. Não vamos fugir dessa grande responsabilidade que é organizar este setor, até porque as coisas desorganizadas não ajudam ninguém”.
A partir da instalação da comissão, Paranhos afirmou que o problema começará a ser resolvido, a partir da retirada dos produtos ilícitos. “Primeiro, é preciso separar o que é lícito, pela lei, e o que não é lícito. Também vamos determinar locais e formatos de venda. Não é possível que, em frente uma loja de confecções, tenha alguém vendendo roupas na porta loja”, alertou, afirmando que chega ser “agressivo” quando “em frente a uma lanchonete está alguém vendendo lanches”.
Olhar social
Apesar de ser taxativo quanto a questão legal, Paranhos fez questão de ressaltar que a administração também trata a questão dos ambulantes com “responsabilidade social”. Por isso, a empresa que há tempo tem contrato com Cascavel para o gerenciamento das vagas de estacionamento foi convidada a chamar alguns dos vendedores ambulantes para trabalhar no processo de implantação e inovação do sistema. “Agradecemos a sensibilidade da empresa e claro que respeitamos o planejamento da empresa. Não estamos transferindo a responsabilidade, mas o que for possível aproveitar da mão de obra das pessoas que hoje estão trabalhando como vendedores ambulantes, que são pais de família que precisam de oportunidade para trabalhar, que continue esse treinamento”, completou. Paranhos disse ainda que há um trabalho muito forte da Agência do Trabalhador para que a mão de obra dessas pessoas sejam absorvida.
Alternativas
Junto com a organização, explicou o prefeito, serão trabalhadas alternativas para suprir a necessidade dos vendedores e, ao mesmo tempo, tornar a cidade ainda mais agradável. “Tem o modelo da bicicleta, que é muito bonito, e traz um embelezamento ao espaço. É uma bicicleta preparada para a venda de produtos”, comentou. Para viabilizar as mudanças, Paranhos disse que tem “apertado” a conversa em torno dos financiamentos através do BRDE e da Agência de Fomento para oportunizar acesso aos financiamentos.
Outra frente de trabalho da comissão serão os “carrinhos de cachorro”. “Teremos as praças de alimentação para que seja trabalhado nesse setor”, revelou.
(SECOM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.