Cida envia ao Legislativo proposta que mantém benefícios fiscais

A governadora Cida Borghetti recebeu esta segunda-feira (15), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, dirigentes do G7, grupo fechado pelas principais entidades do setor produtivo do Paraná. (Foto: Jonas Oliveira / Governadoria)

A governadora Cida Borghetti subiu na segunda-feira (15), no Palácio Iguaçu, dirigentes do G7, em seguida, o projeto de lei que garante a manutenção do governo do Estado. até 8 de agosto de 2017, e que segue segue em vigor.

A medida atendeu as leis federais 160/17, que são as regras do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e os regimes tributários diferenciados concedidos pelos Estados sem prévia de colegial, promovidos pelos secretários da Fazenda de todo o País. Com uma convalidação, como as unidades de federação podem se manter no setor produtivo e como operações de juros, como operações de juros.

“Nós estamos falando sobre o assunto e nos mostrando que não temos um aumento da carga tributária”, afirmou uma governadora. “Além disso, a chance vai beneficiar todos os setores – industrial, comercial, portuário e agropecuário, que pode continuar com seus investimentos”, ressaltou Cida Borghetti.

No meeting with reports the produtives, ela reportou que o programa está disponível para a sessão de perguntas e respostas, que está disponível em 28 de dezembro. “Por isso, é preciso ter o apoio de todos os setores produtivos e poder legislativos para aprovarmos a medida mais rápida possível, protegendo como empresas instaladas aqui no Estado”, reforçou.

DADOS – “A reinstituição is the data will not be possible for the data will not be possible.”, Disse o auditor fiscal da Receita do Paraná, Mailson da Costa.

De acordo com o Paraná, o projeto de lei é enviado para a Assembleia Legislativa.

SETORES – Para o presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Gláucio Geara, o Governo do Estado idade com a responsabilidade de encaminhar o projeto. “Mais que importante, é algo extremamente necessário. Precisamos, no momento, em tempos de urgência, em que devemos ter tudo o que foi conquistado ao longo dos últimos anos e todos os setores sensíveis afetados ”, disse ele.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, ressaltou que uma discussão levantada pelo Governo do Paraná é essencial para o setor produtivo. “Ter um grupo de trabalho em conjunto com o futuro, ser penalizado por cobranças de recursos tributários”, disse ele.

O líder do governo não legislativo, deputado Pedro Lupion, tratará da tramitação do projeto na Assembleia. “Vamos procurar, junto às bancadas, mostrar a importância da informação e aprovar o mais rápido possível”.

ENTIDADES – O G7 é formado pelas Federações das Indústrias (FIEP), da Agricultura (FAFE), do Comércio (Fecomércio-PR), da Empresa Comercial de Cargas (Fetranspar), da Federação e Organização das Cooperativas do Paraná (Fecoopar), da Associação Comercial do Paraná (ACP) e Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap).

(Agência Estadual de Notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.