“Caso Gramado”: Prefeitura entrega material para finalização das casas

Material foi entregue pela prefeitura aos moradores

“É só ter coragem e boa vontade que dá pra enfrentar”. A frase é do seo Genésio, um senhor apelidado de “Índio” pelos vizinhos, que  ganha a vida como pedreiro. Voluntariamente ajudou na construção das 17 moradias que estão prontas no Loteamento Petrópolis, do Bairro Santa Felicidade, para abrigar as famílias remanescentes do processo de reintegração de posse da região do Gramado, e foi um dos primeiros a mudar do Ginásio de Esportes Francisco Pian, do São Cristóvão para a nova área.

Nesta tarde (30), ele novamente foi um dos primeiros a receber as mata-juntas necessárias para concluir a moradia onde vive com a esposa, que trabalha de doméstica. “Agora vai ficar muito bom”, concluiu, mostrando a casinha que já ganhou mais dois metros quadrados. Ele construiu por conta uma lavanderia e já colocou cerâmica em toda a casa. “Tem gente que só reclama e quer vida boa”, comparou.
As ripas de pinos que foram entregues hoje pela Secretaria de Ação Comunitária e pela Cohavel (Companhia de Habitação de Cascavel) são necessárias para tapar as juntas de tábuas e eliminar problemas com a chuva e o vento. Cada família recebeu 120 ripas e os pregos para fazer os trabalhos. O material foi comprado pela Cohavel, no valor de R$ 6.840,00.
Ao todo são 17 casas prontas no Jardim Petrópolis, do Bairro Santa Felicidade. Uma delas foi incendiada há cerca de duas semanas antes de ser ocupada. Apenas dez já receberam moradores. De acordo com o secretário de Ação Comunitária, José Carlos da Costa, o “Cocão”, as famílias terão prazo até o fim desta semana para colocar as ripas e finalizar as casas. Aqueles que já receberam a moradia terão de deixar o ginásio de esportes até o início da próxima semana. “As demais aguardarão as 12 moradias que estão em construção no Bairro Turisparque”, detalhou.
No Turisparque, na Rua Gurgel, equipes da Cohavel iniciaram a obra das demais moradias. Hoje a Sanepar foi instalar a água e era aguardado também o padrão da Copel.
No Santa Felicidade, quanto ao padrão de luz, o presidente da Cohavel, Ney Haveroth, explica que houve acordo no início das transferências para que cada morador adquirisse o dele, mas como eles manifestaram dificuldade para a compra, a Companhia está licitando os mesmos e fará a ligação da energia para as famílias. “Por enquanto eles podem utilizar a energia que está ligada do padrão que foi instalado para a construção das casas, provisoriamente. Não é motivo para não mudar”, detalhou Haveroth.

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.