Cascavel caminha para se tornar uma Cidade Amiga do Idoso

2ª  FeliCidade do Idoso é realizado paralelamente ao Seminário que trouxe ao Município a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa 

No que depender dos deputados federais que integram a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados que passaram hoje (29) por Cascavel, nosso Município pode se tornar um dos primeiros do Paraná a conquistar o selo de “Cidade Amiga do Idoso”, fruto do investimento que tem feito em programas e ações em prol da qualidade de vida daqueles que vivem a denominada “melhor idade”. Este assunto foi defendido hoje (29) durante o 1º Seminário sobre Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, que foi realizado paralelamente à segunda edição do FeliCidade do Idoso, no Parque de Exposições de Cascavel, que começou pela manhã e continuou nesta tarde.
“Sonhamos e escrevemos este movimento e hoje ele está acontecendo, pela segunda vez. Temos muitas prioridades em Cascavel, mas não vamos deixar de zelar pelos nossos idosos, como nos comprometemos lá atrás, pois são nossa prioridade absoluta”, reafirmou o prefeito Leonaldo Paranhos ao recepcionar para a mesa de honra as deputadas federais Leandre Dal Ponte, do Paraná; Carmen Zanotto, de Santa Catarina; e Geraldo Resende, do Mato Grosso do Sul, que vieram também acompanhados da Conselheira Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, Ana Lúcia Silva para o evento, que reuniu 1,5 mil pessoas com mais de 60 anos, além vereadores, secretários municipais, conselheiros e diversas autoridades de Cascavel e região.
Cascavel, escolhida
“Estamos realizando um seminário por Estado e aqui, no Paraná, escolhemos Cascavel para sediar este evento, porque acreditamos nesta cidade, pois sabemos que ela será um marco nos cuidados com a pessoa idosa. Aqui, o  prefeito Paranhos já demonstrou que faz uma administração que cuida do seu povo e tem um Conselho atuante, além de já ter construído e aprovado o seu Plano Municipal dos Direitos do Idoso. O Município já é referência, mas sabemos que Paranhos é o homem que vai fazer de Cascavel uma das melhores cidades do Brasil para se viver”, afirmou a deputada Leandre, idealizadora do evento.
A deputada estima que, em algumas décadas, o número de idosos vai triplicar e passará de 10% da população brasileira, em 2010, para 29,3% em 2050. “As estimativas são de que a ‘virada’ no perfil da população acontecerá em 2030, quando o número absoluto e o porcentual de brasileiros com 60 anos ou mais de idade vão ultrapassar o de crianças de 0 a 14 anos, por isso, a importância de repensar a agenda de políticas públicas para atender aos anseios da pessoa idosa”.
O olhar da deputada Carmen Zanotto para o Município também é positivo. Ela entende que nem toda cidade tem o privilégio de ter idosos tão bem cuidados como os de Cascavel, o que a faz concluir que uma cidade que cuida do idoso, cuida também do jovem, da criança, da mulher e das demais camadas sociais. “Quando um prefeito olha para os idosos, está olhando para a cidade toda. E aqui temos visto uma cidade preocupada com a qualidade de vida de sua gente”.
A ideia de que Cascavel pode receber em breve o selo de Cidade Amiga do Idoso foi reforçada pelo deputado Geraldo Resende, para quem o Município tem todos os requisitos para se candidatar ao reconhecimento. “Espero que seja de fato a primeira a conquistar este selo, que a certificará neste ranking, uma vez que vimos na fala do próprio prefeito o carinho e o zelo por este público tão crescente”, disse, lembrando que eventos como o de hoje são fundamentais para a troca exitosa de experiências entre municípios.
O conceito de Cidade Amiga do Idoso começou a ser pensado durante o 18º Congresso Mundial de Gerontologia, no Rio de Janeiro, em 2005. O selo é concedido pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e para conquistá-lo é preciso, a princípio, desenvolver sete ações. A primeira atitude é formar grupos de idosos para que a opinião deles seja ouvida, a fim de atender as necessidades.
Uma Cidade para os Idosos
No Plano de Governo da Administração Paranhos a proposta da FeliCidade do Idoso vai além de se fazer eventos esporádicos para este público com tanta energia. Eventos como o de hoje são pequenas demonstrações de como será a Cidade do Idoso, que pode ser implanta no próprio Parque de Exposições, que passa boa parte do ano ocioso. “Queremos ocupar este espaço, em parceria com a Sociedade Rural, e otimizar esta estrutura ofertando aqui atividades de segunda a sexta-feira para nossos idosos. Que eles encontrem, aqui, diariamente, diversas atividades concentradas para aprender, ocupar o tempo, fazer atividades físicas e conviver. É uma forma de devolvermos a eles um pouco do que já fizeram pela sociedade”, detalhou Paranhos.
Um dia para aproveitar e comemorar
O evento de hoje antecipou as comemorações do Dia do Idoso, que é  celebrado em 1º de outubro. E não teve tempo ruim não. A chuva que Cascavel recebeu depois de mais de 30 dias de seca e calor só atiçou o ânimo dos convidados para esta segunda edição do FeliCidade do Idoso. Depois de reunir mil participantes no primeiro evento, em abril, a Secretaria de Assistência Social registrou hoje a presença de 1,5 mil idosos, com aprovação geral. Eles aproveitaram todos os serviços oferecidos, com alegria e disposição invejável, que é só deles.
A dona Maria José, de 75 anos, por exemplo, foi logo cedinho tirar dúvidas na barraca da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Contou que é analfabeta e ainda tem o sonho de “conhecer as letras”, mas como mora no interior, talvez tenha que adiar mais um pouco esta meta. “Fica um pouco difícil para estudar, mas eu quero ser alfabetizada, então vim saber como funciona”. Como ficaria o dia todo no evento, queria fazer alguns exames também.
Já o seo Valdevino Vilaca, de 66 anos, assistiu às palestras cortando o cabelo. “Dá para ouvir e já aproveitar e ficar mais chique. É a primeira vez que venho e estou adorando. Ainda quero dançar um pouco à tarde”, contou.
E outra Maria, a Duarte, de 76 anos, não via a hora de chegar a tarde. Mostrou o tênis no pé. “Vim preparada para a ginástica, quero esticar o corpo e dançar. Me disseram que era melhor um calçado confortável. No primeiro deste ano eu estava doente. Agora nem a chuva me fez ficar em casa”, relatou animada.
Para facilitar o deslocamento dos idosos que utilizam ônibus, foi disponibilizado transporte especial do terminal oeste até o Parque de Exposições.
Um lugar e muitos serviços
Os idosos que participaram do FeliCidade de hoje tiveram acesso a mais de 40 prestadores de serviços entre saúde, lazer, esporte, artesanatos, serviços públicos e sorteio de inúmeros brindes, com envolvimento de todas as secretarias do Município.
Foram diversos estandes com vários parceiros, que ofereceram exames de saúde (pressão, glicemia, oftalmológicos, bucal), corte de cabelo, manicure e orientações com profissionais sobre como prevenir doenças, ginástica do cérebro, dicas de segurança no trânsito, economia doméstica, empréstimos, entre outros.
Os idosos foram recebidos com café da manhã, participaram de um delicioso almoço e lanche da tarde. Tudo isso regado a muita música, com a presença da Orquestra de Viola Caipira do Paraná – FAG, sem faltar que não faltou o tradicional Baile da Terceira Idade.
(Secom)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.