Árvore seca ou florida? Quem sou eu?

Luiz Carlos da Cruz

Nunca escondi que sou amante das flores, mesmo não sabendo definir seus nomes, só sei identificar as rosas, são as mais belas. Dificilmente fico indiferente quando vejo uma árvore florida em minha frente. Paro alguns segundos ou minutos apenas para observar, ou até mesmo fazer fotos.

Na minha caminhada matinal de hoje não foi diferente. Encontrei belas flores, pássaros alegres e até formigas que caminhavam enfileiradas transportando folhas. Algumas pareciam que paravam para um diálogo animado.

Observei duas formigas que caminhavam em sentido oposto, se encontraram, pararam de frente uma para outra e depois de alguns segundos uma delas voltou alguns centímetros ao lado da amiga formiga, como se tivesse que terminar de contar uma história. As duas caminharam lentamente lado a lado e na sequência a outra retornou tomando o sentido oposto. Encerraram o papo.

Mas não é de formigas que eu pretendo falar e, sim, de árvores.

A neblina da manhã não foi suficiente para esconder a beleza de uma árvore que derramava suas pétalas formando um tapete florido ao seu redor. Parei, fiz imagens em vários ângulos, mas algo me chamou a atenção.

A bela árvore florida em primeiro plano não escondeu outra árvore completamente seca e sem vida distante cerca de dez ou 12 metros. A cena se repetiu na caminhada vespertina em outro canto da cidade.

Gosto de comparar árvores com pessoas. Aprendi isso com o Mestre dos mestres que se comparou a uma Oliveira e disse que as pessoas que se chegaram até Ele são zambujeiros enxertados, uma espécie de oliveira-brava.

Passei a imaginar aquelas duas árvores como pessoas e tentei entender o as diferenças:

– Como pode duas árvores estarem no mesmo espaço, receberem o mesmo sol, a mesma chuva, a mesma neblina, a mesma estiagem, estarem expostas a mesma poluição e serem completamente diferentes – pensei comigo.

Assim é a vida, somos influenciados pelo ambiente onde vivemos e pelas pessoas que convivemos. Muitas vezes esses ambientes tentam nos intoxicar para provocar queda de nossas folhas e, se possível, fazer secar até a raiz com um único propósito: Impedir de sermos belas árvores floridas. Para não sermos contaminados é preciso ser regado pela Água Viva que purifica tronco, caule e folhas.

Que tipo de árvore sou eu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.