Arrecadação municipal cresce 18,46% em Cascavel e compensa queda de repasse federal

Renato Segalla, secretário de Finanças, expôs números na manhã de hoje (Divulgação/Secom)

A receita tributária própria do Município cresceu de forma positiva nos quatro primeiros meses do ano no comparativo com igual período do ano passado, compensando a quebra na expectativa de arrecadação com repasses federais, como o FPM. O Fundo de Participação dos Municípios representou R$ 30.529.953,22 para Cascavel no primeiro quadrimestre do ano, quando somente a arrecadação com o IPTU no período, por exemplo, chegou a R$ 33.876.296,04.

 De janeiro a abril deste ano, Cascavel arrecadou R$ 106.805.720,19, volume 18,46% superior ao registrado no mesmo período de 2016, quando percebeu R$ 90.158.279,85. “É um crescimento positivo, pois se observa uma evolução três vezes maior que a inflação do período, que foi de 6,29%. Além disso, também no comparativo com demais centros, percebemos a diferença”, disse o secretário de Finanças, Renato Segalla. Toledo registrou crescimento tributário de 17,44%; Londrina de 11,38% e São Paulo de 7,62% segundo o comparativo apresentado pelo secretário na Escola de Governo – Gestão Eficiente, que nesta segunda fase tem o objetivo de apresentar os avanços do governo.
Com o ITBI o Município arrecadou R$ 9.483.244,82 no quadrimestre, mas o grande responsável pela elevação da receita foi o ISSQN – R$ 41.011.785,17 – que inclusive ganhará incentivo a partir da implantação este ano do Programa Nota 10 Premiada. O Projeto de Lei está em trâmite, com objetivo de conscientizar a sociedade da importância de solicitar a nota fiscal  quando da contratação de serviços, estimulando ainda mais as receitas próprias do Município.
No âmbito estadual, houve repasse acima do esperado no ICMS (R$ 63.375.533,55) e no IPVA (R$ 50.321.035,48), o que segundo o secretário também compensou o FPM abaixo do esperado.
Hoje a situação financeira do Município é positiva, reforça Segalla, para quem “a receita própria do Município, é a meta a ser superada, uma vez que o País passa por um momento de crise. “A expectativa é de se trabalhar com 100% do previsto, mas como Cascavel não é diferente dos demais Municípios, estamos um pouco abaixo devido à situação do País. Contudo, vamos continuar fazendo a compensação com a arrecadação própria. No IPTU por exemplo, queremos chegar aos R$ 44 milhões previstos pois temos uma série de obras e programas para implementar que dependem da efetividade da receita e estamos trabalhando para isso”.
A previsão atualizada da receita para 2017 é de R$ 893.796.250,45, com arrecadação até maio de R$ 345.367.607,01, que é de 14,93% maior que a de igual período de 2016. Nos quatro primeiros meses de 2016 chegou-se a R$ 300.479.455,20.
Evolução no emprego
“São números e números que nos deixam felizes. Apesar da queda dos repasses federais, temos tido a eficiência e o Município tem feito a parte dele. Demonstra que tivemos a visão de apertar o cerco na economia sem aumentar alíquotas para a população. E esta evolução do quadrimestre também se reflete no Município como um todo. É um conjunto de gestão. A rapidez na emissão do alvará, nossa agilidade no atendimento à população, mais projetos e obras liberadas têm tido uma consequência positiva na geração do emprego e renda. Isso colocou a cidade como primeira na geração de emprego em maio no Paraná. Isso mostra que estamos no caminho certo”, comemorou o prefeito ao fim da apresentação do secretário de Finanças.
(As informações são da Secom)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.