Agro, obras e crédito formam tripé para recuperar economia do Paraná

O secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, esteve na manhã desta sexta-feira na Acic para dar detalhes do Programa de Retomada da Economia do Paraná. Ao lado dos deputados estaduais Gugu Bueno, Márcio Pacheco e Coronel Lee, Guto informou que o tripé agronegócio, obras estruturantes e acesso facilitado ao crédito vão contribuir para tirar o Paraná da crise. Guto foi recebido pelo presidente Michel Lopes e pelo vice Genésio Pegoraro e se disse feliz em percorrer regiões do Estado para falar de um plano elaborado para acelerar a recuperação econômica paranaense.

Há mais de 90 dias setores do governo em parceria com entidades do setor produtivo trabalham na composição do Programa. “Felizmente, devido às suas características, nosso Estado tem condições diferenciadas para enfrentar esse período tão crítico. Há liquidez no interior em razão do bom desempenho do agronegócio e esse fator já promove o aquecimento de vários segmentos produtivos estaduais”. Restabelecer a confiança no consumo é um aspecto primordial e o agro cumpre a condição de vetor para puxar o crescimento dos indicadores.

Investir em obras traz dois benefícios, segundo Guto Silva: gera empregos no curto prazo e competitividade a longo prazo. “Com o coronavírus, os cofres do governo estadual deixaram de arrecadar R$ 1,5 bilhão, mas mesmo assim a decisão é de captar recursos para investimentos. Além de buscar dinheiro, vamos dar atenção especial a um banco de projetos”, ressaltou o secretário-chefe da Casa Civil. Guto disse que o BRDE e a Fomento Paraná serão alavancas do processo de retomada. É preciso criar formas de atender o pequeno varejista, que está entre os que mais sofrem com as consequências da pandemia. Com a opção dos bancos de se escolher na crise, aumenta o apoio e a importância das cooperativas de crédito em suas comunidades.

Polo em vacinas

Guto tocou em alguns pontos polêmicos durante o encontro com os empresários na Acic. Sobre a parceria do Paraná com a Rússia e China para a produção de vacinas ele afirmou que se trata apenas de sair na frente e atender aos paranaenses tão logo a Anvisa sinalize sobre a segurança e eficácia delas. “O objetivo é fazer do Tecpar um polo de multivacinas e seguir o exemplo do Lacen, o Laboratório Central do Paraná, que é referência em todo o País”. Em atenção a uma pergunta da professora e empresária Silvana Borghelot, o secretário informou que, de forma cuidadosa, o governo estadual elabora uma estratégia de retomada das aulas.

Um aspecto em particular foi destacado pelos líderes presentes ao encontro, entre eles o prefeito Leonaldo Paranhos. Eles citaram a união de todos, movimento que se espalhou pelo Paraná, pela busca de caminhos para tirar o Estado mais rapidamente da crise. “Fico feliz em saber que Cascavel conta inclusive com comitês de análise e de consensos sobre como agir. É, sem dúvida, um sinal de maturidade”, afirmou o secretário. O presidente da Acic, Michel Lopes, citou que Cascavel conta inclusive com uma força-tarefa com a função de pensar e executar ações de retomada da economia local. “E os resultados têm sido muito bons”, segundo Michel.

Legenda: O secretário Guto Silva em encontro com diretores da Acic e autoridades

Crédito: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.