Agentes do Depen ministram curso de escaneamento corporal

Instrutoras pertencem ao Setor de Segurança Externa e percorrem todas as unidades do Estado

Servidores do Depen participaram nesta quarta-feira (03), em Cascavel, de uma capacitação na operação do aparelho body scan – escaneamento corporal.

O curso reuniu aproximadamente 30 agentes penitenciários do Estado, do Depen Federal e servidores do Serviço Social, que atuam nas unidades prisionais.

A instrução foi organizada por meio de uma parceria da Espen – Escola de Formação e Aperfeiçoamento Penitenciário e do SSE – Setor de Segurança Externa – do Depen Paraná.

A capacitação foi dividida em duas partes: teoria e prática. Na parte teórica, realizada no auditório da Transportadora Pra Frente Brasil, os servidores aprenderam sobre o funcionamento dos novos aparelhos de escaneamento corporal, (adquiridos pelo Depen e disponibilizados nas unidades prisionais do Estado), entenderam sobre as leis que regem o trabalho de revista de visitantes e discutiram a padronização dos trabalhos realizados em situações de flagrantes.

Já no segundo momento, foram realizadas análises de imagens capitadas e arquivadas pelos aparelhos de escaneamento da PEC – Penitenciária Estadual de Cascavel e PIC – Penitenciária Industrial de Cascavel.

“Não adianta ter o aparelho com tecnologia de ponta e não saber como operá-lo. O curso serve para mostrar ao servidor como agir em situações de alteração nas imagens, captadas durante o procedimento de revista das visitantes que adentram a unidade prisional”, explica a instrutora e agente penitenciária, Rafaella Baggio.

Os trabalhos contemplam ainda técnicas de abordagem, em casos de flagrante.

“A primeira abordagem que se faz a uma visitante é a mais importante. Ela deve ser cautelosa, de maneira profissional e é a que vai definir o desenrolar da situação. A tranquilidade ajuda o agente penitenciário resolver o problema”, conta a agente penitenciária e instrutora do curso, Zilser Scherer.

Servidores das unidades de Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Cruzeiro do Oeste e Curitiba, já receberam a capacitação que de Cascavel, segue agora para Foz do Iguaçu, Guarapuava e Francisco Beltrão.

Flagrantes

Desde que os novos aparelhos de escaneamento corporal foram instalados, nas unidades prisionais do Paraná, os índices de flagrantes aumentaram.

O equipamento possui tecnologia de última geração que permite constatar se a visita está escondendo algo ilícito nas roupas ou se possui algum invólucro, introduzido nas partes íntimas.

Quando o equipamento detecta a irregularidade a visita é encaminhada à delegacia. Ela é submetida aos rigores da lei e às sanções administrativas, como a proibição de visitar o preso.

Todos os casos de flagrante são julgados nas unidades penais pela CTC – Comissão da Tratamento e Classificação – que avalia a suspensão ou não da carteirinha do visitante.

O trabalho de fiscalização do SSE já é referência no Depen Paraná. O setor controla do acesso do Complexo Penitenciário de Piraquara.

As instrutoras que percorrem o Estado com o curso atuam há 5 anos diretamente com os escâneres corporais.

“A padronização traz tranquilidade e legalidade no trabalho desenvolvido pelos agentes penitenciários, por isso a importância de que todo esse conhecimento possa se estender em todas as unidades do Estado”, finaliza Zilser.

(Assessoria)

Avatar

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.