Vigilância Sanitária reforça cuidados em entregas delivery’s e orienta consumidores

Diariamente centenas de pessoas utilizam o serviço de entrega em domicílio para se alimentar. A pandemia, causada pelo novo coronavírus, reforçou ainda mais a necessidade de se preocupar com a própria saúde e também exigir a segurança necessária de quem está manipulando os ingredientes até a entrega do produto final.

Confira algumas recomendações da Vigilância Sanitária de Cascavel, para estabelecimentos, entregadores e clientes:

1) Após o preparo, os alimentos que serão transportados deverão ser embalados e armazenados em local previamente higienizado, respeitando as condições de tempo e temperatura, de modo que não comprometa sua qualidade higiênico-sanitária;

2) O entregador deve ficar atento a limpeza do veículo de transporte de alimentos e, ao final de cada entrega, proceder a desinfecção (higienização) do compartimento onde o alimento é armazenado durante o transporte.

As entregas de moto devem ainda atentar-se a a higienização frequente do capacete;

3) Orientar os consumidores, que de preferência, realizem o pagamento através de aplicativo de cartões de crédito ou débito. Neste último caso, recomenda-se que o próprio cliente introduza e retire o cartão da máquina, evitando que o entregador entre em contato com o cartão. Após finalização do pagamento, o entregador deverá proceder a desinfecção/limpeza da mesma;

Aplicativos de entregas de refeições já oferecem opções de entrega sem contato físico. Ao final de cada atendimento, o entregador deve proceder a desinfecção das mãos com álcool gel 70%;

4) Ao consumidor recomenda-se que, após recebimento das refeições, proceda a higienização das mãos, descarte a embalagem primária (geralmente sacola plástica ou saco de papel) e, se possível, proceda a desinfecção externa da embalagem que envolve diretamente o alimento ou a substituição da mesma para reservatórios limpos. Anteriormente ao consumo, deve-se proceder novamente a higienização das mãos.

Base legal: Resolução – RDC nº216, de 15 de setembro de 2004. Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação.

(SECOM)

Ana Luiza Bonatto da Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Próxima Notícia

Contra coronavírus, Cabreúva vai multar idoso encontrado fora de casa

seg mar 30 , 2020
Pessoas com 60 anos ou mais não podem estar na rua sem justificativa A prefeitura de Cabreúva, no interior paulista, vai multar a partir de hoje (30) idosos que estejam na rua sem justificativa. O decreto municipal determina que as pessoas com 60 anos ou mais devem obrigatoriamente ficar recolhidas em casa […]