Defesa pede liberdade a Juninho Riqueza, réu confesso pela morte de Daniel

Pedido foi protocolado no Processo Eletrônico do Judiciário do Paraná

A defesa de Edison Brittes Junior pediu à Justiça de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a liberdade do acusado, que é réu confesso pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas. O pedido foi protocolado no Processo Eletrônico do Judiciário do Paraná nesta segunda-feira (2).

Edison Brittes é o último réu que segue preso (Foto: Franklin de Freitas/Folhapress)

De acordo com o advogado Claudio Dalledone, o momento é oportuno para a conversão da prisão de Brittes por medidas cautelares. “Pode ser o monitoramento dele em casa, pode ser a restrição total de saída, uma vez que o processo está maduro para isso. Ele preenche requisitos objetivos e subjetivos para responder em liberdade e enxergamos que esse é o momento”, explicou.

Caso o pedido seja negado pela juíza Luciani Regina Martins de Paula, Dalledone promete recorrer ao Tribunal de Justiça do Paraná para que Brittes ganhe o direito de recorrer em liberdade, assim como os demais réus do caso.

Edison Brittes Junior, que também é conhecido como Juninho Riqueza, responde por homicídio qualificado pelo motivo torpe, meio cruel e outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de adolescente e coações no curso do processo.

Denúncia

Edison Brittes confessa a morte de Daniel e afirma que tomou a medida extrema após encontrar Daniel na cama com Cristiana. O jogador então foi brutalmente espancado e levado no porta-malas de um Veloster até a Colônia Mergulhão, onde foi morto com um corte no pescoço e o pênis decepado.Segundo a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), Daniel participava das comemorações de aniversário da filha de Edison, Allana Brittes, que havia completado 18 anos. Após passar a noite em uma casa noturna do bairro Batel, Daniel foi convidado para um ‘after’ na casa da família Brittes, onde o crime aconteceu.

Edison, Cristiana Brittes e Allana foram apontados como principais responsáveis pelo crime, com David William Vollero Silva, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King e Evellyn Perusso sendo posteriormente indiciados e denunciados por envolvimento na morte.

Pronúncia

Atualmente, o processo aguarda a decisão de pronúncia, que pode levar os sete réus a júri popular, mas por diferentes crimes.

Ana Luiza Bonatto da Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Próxima Notícia

Projeto torna obrigatório papel higiênico hidrossolúvel ou ducha higiênica

seg dez 2 , 2019
<div class="at-above-post addthis_tool" data-url="http://jornalboanoite.com.br/defesa-pede-liberdade-a-juninho-riqueza-reu-confesso-pela-morte-de-daniel/"></div>O Projeto de Lei 5349/19 obriga estabelecimentos comerciais e alimentares e prédios de instituições públicas a disponibilizarem papel higiênico hidrossolúvel ou duchas higiênicas em seus banheiros. Apresentado pelo deputado Roberto Pessoa (PSDB-CE), a proposta está em análise na Câmara dos Deputados. O objetivo é reduzir a produção de lixo resultante […]<!-- AddThis Advanced Settings above via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Advanced Settings below via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Advanced Settings generic via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Share Buttons above via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Share Buttons below via filter on get_the_excerpt --><div class="at-below-post addthis_tool" data-url="http://jornalboanoite.com.br/defesa-pede-liberdade-a-juninho-riqueza-reu-confesso-pela-morte-de-daniel/"></div><!-- AddThis Share Buttons generic via filter on get_the_excerpt -->